Conteúdos Bio

Matérias exclusivas sobre ingredientes, tendências e curiosidades sobre Nutrição e Saúde.

Dieta para prevenir Alzheimer

Nestlé Faz Bem
Dieta Para Prevenir Alzheimer

Comparados com os participantes que menos seguiam a dieta MIND, os que fizeram mais pontos retardaram o declínio cognitivo em sete anos e meio.

Por Estúdio Abril Branded Content

Depois de mais de 20 anos estudando alimentos que contribuem para a saúde do cérebro, a pesquisadora americana Martha Clare Morris, da Universidade Rush, em Chicago (EUA), e sua equipe descobriram uma dieta que reduz as chances de desenvolver a doença de Alzheimer e desacelera as perdas cognitivas, como perda de memória, que acontecem com a idade. E a melhor notícia é uma dieta que não é difícil de manter: inclui até uma taça de vinho seis vezes por semana e permite doces até cinco vezes por semana.

Batizada de MIND, é uma junção de alimentos da Dieta Mediterrânea e da dieta para reduzir a hipertensão, conhecida como DASH em inglês. A pesquisa também mostrou que mesmo quem não seguia a alimentação exata se beneficiou. A equipe entrevistou cerca de mil pessoas por uma média de 4 anos e meio. As pessoas respondiam a questionários sobre suas dietas normais e não precisaram mudar nenhum hábito. Uma vez por ano, realizavam cerca de 20 testes de memória, velocidade de resposta, capacidade de síntese, entre outros.

Os participantes ganhavam um ponto para cada alimento saudável da lista, que totalizava 15 pontos ou pela restrição dos alimentos menos saudáveis. “Observamos que a cada aumento de um ponto, houve redução do risco de Alzheimer”, diz Morris. Aqueles que fizeram mais pontos, de 8,5 a 12,5, conseguiram reduzir em 53% os riscos de desenvolver a doença. E mesmo as pessoas que fizeram pouco mais da metade da pontuação (6,5 a 8,5) também reduziram em 35% o risco de desenvolvê-la. Atualmente, Morris está trabalhando em uma nova pesquisa, observando o que acontece se os participantes mudarem para a dieta MIND. Os resultados devem sair no próximo ano.

Bio Nestlé: Quais são os nutrientes mais importantes para prevenir Alzheimer e degeneração cognitiva?
Martha Clare Morris
: As maiores evidências científicas são da vitamina E, vitaminas B e DHA (ácido docosahexaenoico, um dos componentes do ômega-3). A vitamina B9, também conhecida como ácido fólico, é especialmente boa para prevenir o Alzheimer, enquanto a B12 funciona para o declínio cognitivo.

BN: Que alimentos contêm esses nutrientes?
MCM
:Os alimentos ricos em vitamina E são óleos vegetais, castanhas, sementes e grãos integrais. DHA vem de peixes e frutos do mar. Quando envelhecemos, fica mais difícil absorver vitamina B12 e muitas pessoas precisam de outras fontes, como o uso de suplementos. Folhas verdes são fontes de B9, vitamina E, entre outros nutrientes que diminuem riscos de desenvolver Alzheimer.

BN: Que alimentos afetam negativamente o cérebro? Por quê?
MCM
:Há uma ligação forte entre gordura saturada e danos ao cérebro. Por isso recomendamos restringir queijos e fritura a uma vez por semana. Também recomendamos restringir doces, bolos, tortas e folhados para cinco vezes por semana.

BN: Qual é o efeito no cérebro dos alimentos considerados preventivos e deletérios?
MCM
:Os efeitos dos nutrientes no cérebro são muitos, então é impossível explicar tudo. Mas sabemos, por exemplo, que a vitamina E reduz a perda de neurônios e as gorduras saturadas contribuem para diminuir o tamanho dos vasos sanguíneos que levam nutrientes.

BN: Quem corre o risco de desenvolver Alzheimer?
MCM
:Metade das pessoas acima de 85 anos desenvolve Alzheimer. Todos nós deveríamos nos considerar em risco porque é uma porcentagem bastante alta. Os casos genéticos são poucos e ocorrem antes de 65 anos.

BN: Quais outros fatores reduzem o risco de desenvolver Alzheimer?
MCM
:Exercícios, atividades sociais, controle das condições cardiovasculares (pressão alta, entre outros), controle do estresse, manter o peso em nível saudável e atividades que desafiem o cérebro.

Dieta MIND: calcule seus pontos
Cada recomendação vale um ponto. No estudo, participantes que fizeram de 8,5 a 12,5 pontos tiveram redução de 53% do risco de desenvolver Alzheimer. Os que fizeram de 6,5 a 8,5 tiveram uma redução de 35%. A pontuação máxima da dieta é de 15.

Tabela - Dieta MIND: calcule seus pontos

Quer ficar por dentro das principais notícias do universo de nutrição, saúde e bem-estar? Siga @bionestle.