O que a Nestlé está fazendo para melhorar o fornecimento do óleo de palma?

Nestlé Faz Bem
Qual é a sua resposta ao relatório da Anistia Internacional sobre o óleo de palma?

Os abusos trabalhistas identificados no relatório da Anistia Internacional não têm lugar em nossa cadeia produtiva. Investigaremos quaisquer alegações relacionadas com o óleo de palma que adquirimos em conjunto com nossos fornecedores.

A Nestlé colaborou exaustivamente com a Anistia durante a elaboração do relatório, inclusive prestando informações detalhadas sobre o nosso relacionamento com o fornecedor de óleo de palma Wilmar, com quem estamos trabalhando em estreita cooperação para melhorar nossa rastreabilidade. Discutiremos as sérias alegações feitas nesse relatório com a empresa, para identificar as medidas a serem tomadas para garantir que as práticas ilegais sejam eliminadas

Há seis anos, trabalhamos com vários parceiros, inclusive The Forest Trust, para melhorar a transparência, rastreabilidade e comportamento dos fornecedores do setor de óleo de palma.

Nosso Código de Fornecedores inclui regras rígidas sobre os direitos trabalhistas. Qualquer fornecedor que não cumprir com os requisitos do nosso Código será suspenso.

Os direitos humanos são inegociáveis. Continuaremos a trabalhar ativamente para garantir que sejam respeitados.

Leia nossa resposta completa ao relatório da Anistia.

Qual é o seu relacionamento com a Wilmar International, a empresa no centro do relatório da Anistia Internacional?

A Wilmar International nos fornece há mais de 10 anos cerca de 10% do óleo de palma que usamos. Eles se comprometeram com o nosso programa de Fornecimento Responsável, que inclui regras rígidas sobre os direitos trabalhistas e a prevenção do desmatamento.

Qual é o seu relacionamento com o produtor guatemalteco de óleo de palma REPSA?

Nós compramos óleo de palma da REPSA e acabamos sendo envolvidos nas acusações feitas contra a empresa desde que surgiram pela primeira vez, a saber, violações dos direitos dos trabalhadores, violações dos direitos das comunidades e degradação ambiental.

Reconhecemos a gravidade dessas alegações e as mudanças significativas que precisam ser feitas. No entanto, reconhecemos também o verdadeiro progresso que a REPSA conseguiu em algumas frentes. Estamos confiantes que a REPSA conseguirá superar os desafios que se apresentam e alcançar novos progressos.

Acreditamos que a melhor forma de apoiarmos os direitos das pessoas, das comunidades e do meio ambiente que foram afetados é mantendo nosso relacionamento com a empresa. Informamos à REPSA sobre nossa expectativa de que a empresa tome a liderança e realize as transformações que são tão necessárias, e também transmitimos nossa preocupação com relação às significativas questões sociais na região de Péten.

Leia nossa resposta à Rainforest Action Network, um grupo preocupado com a situação na Guatemala.

Que volume de óleo de palma a Nestlé compra por ano e qual a sua utilidade?

Compramos cerca de 420.000 toneladas de óleo de palma em 2015 - cerca de 1% da produção global - de várias empresas de transformação que produzem o óleo na Malásia, Indonésia e em outros países. Utilizamos o óleo de palma principalmente como óleo de cozinha e como ingrediente em produtos alimentares.

O que a Nestlé está fazendo para melhorar a cadeia produtiva do óleo de palma? Estamos trabalhando para aumentar a quantidade de óleo de palma responsável em nossa cadeia produtiva e garantir que nossos fornecedores cumpram com nossas Diretrizes de Fornecimento Responsável.

Com o nosso parceiro The Forest Trust (TFT), estamos mapeando nossa cadeia produtiva de óleo de palma. Mais de 90% do óleo de palma que compramos é rastreável até os moinhos que processam a palma e 47% é rastreável até a plantação.

Isso significa que nossos fornecedores cumprem com nossas diretrizes ou possuem um plano de ação para tanto. Nossa ambição é alcançar 70% de rastreabilidade até a plantação no final de 2017.

Também nos concentramos em programas de assistência técnica para pequenos agricultores, incluindo a iniciativa ""Ruralidade"" [Rurality] que o TFT está desenvolvendo. Este foco nos pequenos agricultores é uma maneira concreta de melhorarmos nosso fornecimento responsável de óleo de palma e de fazermos uma diferença significativa para os meios de subsistência dos pequenos produtores agrícolas que nos abastecem.

O cultivo de óleo de palma causa desmatamento. O que vocês estão fazendo para evitar isso?

O cultivo de óleo de palma foi associado ao desmatamento, especialmente em países como a Indonésia e a Malásia. Em apoio aos esforços para acabar com o desmatamento, em 2010 a Nestlé publicou um compromisso de desmatamento zero. Também assinamos a Declaração de Nova York sobre Florestas, apoiamos o compromisso do Fórum dos Bens de Consumo de alcançar o desmatamento zero até 2020 e participamos ativamente da Aliança pelas Florestas Tropicais 2020 [TFA 2020].

O que vocês esperam de seus fornecedores de óleo de palma?

Todas as empresas que nos fornecem óleo de palma devem:
  • Cumprir com as leis e regulamentos locais;
  • Não cultivar palmeiras ou desmatar áreas da floresta natural para retirá-las após novembro de 2005;
  • Respeitar o consentimento livre, prévio e informado das comunidades locais e indígenas;
  • Proteger florestas com grande estoque de carbono;
  • Proteger as turfeiras; e
  • Cumprir com os princípios e critérios da Mesa Redonda sobre Óleo de Palma Sustentável (RSPO), o organismo de certificação da indústria que promove o crescimento e uso de produtos de óleo de palma sustentável.

Além disso, todos os nossos fornecedores devem aderir às disposições estabelecidas nas nossas Diretrizes de Fornecimento Responsável.

A Nestlé está tomando medidas contra fornecedores de óleo de palma, como o Grupo IOI, devido à sua preocupação com as atividades de tais fornecedores?

Reservamo-nos o direito de revisar e potencialmente rescindir relações comerciais com nossos fornecedores, quando suas ações não são condizentes com os padrões que esperamos deles.

Encontre mais informações sobre nosso relacionamento com o Grupo IOI.

O óleo de palma é perigoso para a saúde?

Existem preocupações sobre os riscos para a saúde associados à ingestão das gorduras saturadas dos óleos vegetais, inclusive o óleo de palma, acima dos limites recomendados pelas autoridades sanitárias. Quando consumidos como parte de uma dieta saudável, os alimentos processados com óleo de palma (como caldos, frituras, massas, coberturas de chocolate ou sorvetes) geralmente fazem apenas uma pequena contribuição para a ingestão diária de gorduras saturadas e não representam risco para a saúde .

Reduzimos significativamente a quantidade de gorduras saturadas em muitos de nossos produtos desde a adoção de uma política corporativa sobre o assunto em 2009. Em 2014, fortalecemos nossa política comprometendo-nos a reduzir o teor adicional de gorduras saturadas em 10%, em média, até 2016 nos produtos que não atendem aos critérios da Nestlé Nutritional Foundation.

Perguntas relacionadas

Ver todas as perguntas