Mindfulness: saiba como incorporar a meditação no dia a dia

Mindfulness,

 

 

Especialistas dão dicas práticas para começar por conta própria e explicam os benefícios da técnica


A ideia de uma técnica de meditação totalmente focada no momento presente nasceu nos EUA na década de 1970, quando o biomédico Jon Kabat-Zinn começou a estudar a relação entre a meditação zen budista e o alívio do estresse e da dor.

 

Ciente de todas as etapas da prática, ele achou interessante fazer uma pequena alteração: em vez de manter a mente fixa no que seriam as informações corretas (como prega o zen budismo), o caminho seria aceitar as informações presentes simplesmente como elas são – boas ou ruins, certas ou erradas.

 

Assim começou a mindfulness – ou “atenção plena” –, uma meditação regulada pela atenção à experiência do momento presente. Hoje, passados 40 anos, a mindfulness é replicada e empregada em todo o mundo como uma ferramenta para, além de aliviar estresse e dor, tratar depressão e ansiedade e ajudar as pessoas a encontrarem seus pontos de concentração e equilíbrio em todos os momentos do dia a dia.

 

“A exigência para que sejamos multitarefa faz com que muita gente esteja com a cabeça sempre no passado ou no futuro. Por se adaptar muito bem à realidade que vivemos, a mindfulness passou a ser usada para trazer as pessoas de volta para o presente não só na hora da meditação, mas em tudo que fazem”, afirma a filósofa Karitas Ribas, pesquisadora em biologia cultural e especialista em mindfulness.

 

Dicas para começar a meditação mindfulness

Sempre que surge a vontade de se aprofundar em alguma técnica de relaxamento e autoconhecimento, o ideal é aderir a um curso ministrado por um profissional especializado. A regra vale para a mindfulness, mas qualquer pessoa pode incorporar suas premissas básicas ao dia a dia.

 

A professora de mindfulness Katya Stubyng, que possui mestrado em psiquiatria pela Faculdade de Medicina da USP, e a filósofa Karitas Ribas sugerem, a seguir, cinco dicas para iniciar a prática por conta própria.

 

1. Tome consciência de cada parte do seu corpo mentalmente

Sentado e de olhos fechados, pense em cada parte de sua cabeça – testa, olhos, nariz, boca, bochechas, orelhas –e, lentamente, faça um passeio mental pelo resto de seu corpo, até chegar aos dedos dos pés.

 

2. Perceba as sensações proporcionadas pelas roupas que está usando

É um tecido macio ou áspero? A roupa é justa ou folgada? O corpo está confortável ou algo incomoda? Questione de si para si aspectos tanto das características das roupas quanto das sensações que elas proporcionam.

 

3. Sinta o vento ou a ausência dele enquanto caminha ou dirige

O ar que nos rodeia e que respiramos é tão natural que nem damos atenção a ele. Vire essa chave e passe a sentir o vento enquanto anda pela rua ou enquanto dirige. Com isso, você começa a introduzir a mindfulness ao seu dia a dia.

 

4. Preste atenção a tudo que bebe ou come

Qual é o gosto dos cafezinhos que você toma durante o expediente? Bebê-los é uma atitude tão automática que muita gente não sabe mais responder essa pergunta com precisão. Mesmo que você saiba, passe a sentir cada gole desde o momento em que encosta os lábios no copo até a passagem dele pela garganta.

 

O mesmo vale para o almoço, o jantar e os lanches: dê atenção a cada composição de garfada, à textura dos alimentos, aos atos de mastigar e de engolir a comida. Esteja totalmente concentrado na refeição – para isso, fique longe da TV e do celular.

 

5. Tome consciência de cada parte do seu corpo fisicamente

No banho, preste atenção a cada parte do corpo por onde você passar as mãos, a esponja ou a bucha. Não pense em nada mais, apenas em seu corpo e as sensações da sua pele.

 

Benefícios práticos da mindfulness

As especialistas Katya e Karitas contam também quais são os benefícios palpáveis alcançados pela prática da meditação mindfulness. Confira:

 

  • Menos ansiedade

  • Ao tomar consciência de que está acontecendo e focando no aqui e agora, você deixa de remoer fatos ocorridos no passado e de se preocupar por antecipação com o futuro. Se o que importa é o que está ao alcance das suas mãos, você tem domínio sobre isso e não tem motivo para ficar ansioso.

     

  • Alívio dos sintomas de depressão e de estresse

  • A meditação mindfulness diminui a produção de cortisol, o hormônio do estresse que também é relacionado à depressão.

     

  • Maior concentração

  • A concentração é um hábito. A partir do momento em que você se acostuma a se concentrar no corpo e nos gestos, passa a também conseguir se concentrar mais em leituras, conversas e até a acompanhar filmes e esportes de longa duração.

     

  • Menor necessidade de retrabalho

  • Tudo que é feito com concentração tende a ser bem feito desde sua primeira versão. Sem pontas soltas ou detalhes que tenham sido esquecidos, o retrabalho se torna praticamente inexistente – o que é ótimo em dias com minutos tão contados: sobra mais tempo para você se dedicar ao que lhe interessa, de fato.

     

  • Maior tolerância

  • Quem entende a realidade presente com suas qualidades e defeitos passa a compreender melhor as atitudes e comportamentos alheios. Não há espaço para se indignar com o que deveria ter sido feito ou dito pelos outros; o que é, é. Pessoas que aderem à meditação mindfulness são mais tolerantes e tornam a vida ao seu redor mais agradável.

     

Este conteúdo foi originalmente produzido por Minha Vida

 

PARA SABER MAIS SOBRE OS PRODUTOS MOLICO, CLIQUE AQUI!

 

 

 

 

 

 

NesPLAY

Mude com NesPLAY

Para estimular um dia a dia mais saudável, o app NesPLAY reúne receitas e atividades divertidas para as crianças e a família mudarem hábitos brincando.