Leite além da infância: por que a bebida também é importante na fase adulta?

Leite além da infância

 

 

Os benefícios do alimento para a saúde são essenciais em todas as etapas da vida; entenda como isso muda com o passar dos anos


Leite e seus derivados merecem destaque na alimentação por muitos motivos diferentes. Em primeiro lugar, o leite é a melhor fonte de cálcio da natureza, e este nutriente oferece benefícios à saúde na função estrutural de ossos e dentes, na função neuromuscular, na coagulação, na transmissão nervosa, na permeabilidade das membranas e na digestão, além de contribuir para a regulação da secreção hormonal e da pressão arterial.

 

“Apenas” isso já seria o suficiente para justificar a necessidade do leite em nossa dieta diária, mas ele tem ainda mais pontos positivos:

 

  • É rico em proteínas de valor biológico –Elas contemplam todos os aminoácidos essenciais que o corpo não consegue produzir, são reconhecidas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) pela qualidade proteica comparável à albumina e são compostas por 80% de caseína (proteína de absorção mais lenta que contribui para a saciedade em longo prazo) e 20% de proteína do soro (absorvida mais rapidamente e responsável pela saciedade em curto prazo);

  • É uma ótima fonte de lipídios, que participam do transporte das vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K), melhoram as condições cardiovascular e do sistema imunológico e têm potencial efeito anticancerígeno;

  • Tem minerais como fósforo, magnésio, zinco e selênio em sua composição, assim como vitaminas, com destaque para a A e para as do complexo B.

 

Benefícios do leite para toda a vida

Muito se fala sobre a necessidade de dar leite às crianças, para que elas aproveitem todas essas propriedades em seu desenvolvimento físico e neurológico. Mas a ação deste alimento continua sendo importante na adolescência, na fase adulta e na terceira idade. Entenda por que o leite é fundamental em cada etapa da vida e quanto deve ser consumido para suprir as necessidades do organismo:

 

Infância

O consumo de cálcio, em conjunto com os hormônios tireoidianos e do crescimento (GH), tem papel fundamental na formação das cartilagens e dos ossos. Recomenda-se a ingestão de 1000 mg de cálcio por dia, o que é possível com 1 copo (300 ml) de leite + 3 fatias (60 g) de queijo prato + 2 potes de petit suisse (40 g/unidade).

 

Adolescência

É uma fase fundamental na formação óssea, por ser quando ocorre o “estirão” e há um rápido aumento no tamanho dos ossos e de seu conteúdo mineral. As necessidades diárias de cálcio aumentam para 1300 mg por dia, o que se consegue em 1 copo (300 ml) de leite + 1 copo (300 ml) de vitamina de fruta com leite + 1 porção (45 g) de mussarela + 1 copo (200 ml) de iogurte.

Leite além da infancia

Fase adulta

A massa óssea continua a aumentar até atingir seu pico aos 35 anos –e depois disso começa uma perda progressiva dela. O consumo adequado de cálcio é essencial para que o crescimento da massa óssea ocorra adequadamente e para que comece a prevenção da osteoporose.

 

Aqui volta a haver a necessidade de 1000 mg de cálcio por dia, porém com aporte diferente daquele da infância: 1 copo (200 ml) de leite fortificado com 50% VD de cálcio + 1 pote de iogurte (100 g) fortificado com 50% VD de cálcio.

 

Terceira idade

A perda de massa óssea que se inicia a partir dos 35 anos se mantém ao longo de toda a vida e é acelerada nas mulheres após a menopausa. Por isso, não se pode deixar o consumo adequado de cálcio de lado: ele diminui a remodelação óssea, ou seja, o uso do cálcio reservado nos ossos para outras funções do corpo.

 

O ideal para as mulheres é consumir 1200 g de cálcio por dia: 1 fatia (35 g) de queijo minas + 1 copo (200 ml) de leite fortificado com 50% VD de cálcio + 1 pote de iogurte (100 g) fortificado com 50% VD de cálcio.

 

Para os homens, o consumo de cálcio pode se manter igual ao da fase adulta.

 

Ajudando a prevenir a osteoporose

Além do consumo de cálcio indicado acima, algumas atitudes ajudam – e muito – na prevenção da osteoporose:

 

  • Expor-se ao sol da manhã regularmente;

  • Não fumar;

  • Evitar o consumo de café e de bebidas alcoólicas;

  • Exercitar-se (caminhadas e exercícios que requeiram força muscular);

  • Manter uma alimentação com cálcio e vitamina D, com bastante consumo de leite e derivados. Outros alimentos ricos em cálcio são brócolis, farinha de peixe, feijão branco, cereais e sardinha.

 

Fonte consultada: nutricionista Renata Piermarini Azambuja, da Nutrition, Health and Wellness Unit da Nestlé Brasil Ltda.

 

PARA SABER MAIS SOBRE OS PRODUTOS MOLICO, CLIQUE AQUI!