Nutrindo os Sonhos dos Jovens

Nestlé Faz Bem
comunidades historias nutrindo os sonhos dos jovens

Nestlé aposta na capacitação de jovens para transformar a comunidade

Pensando no futuro dos jovens e adolescentes brasileiros, o programa Nestlé Nutrindo os Sonhos dos Jovens realizou um projeto piloto, em 2015, que capacitou e formou jovens aprendizes para melhorar as chances dessas pessoas no mercado de trabalho.

Em 2016, o programa foi estendido para 35 cidades onde a Nestlé tem fábricas e filiais, fazendo com que o número de jovens impactados crescesse em 40%, passando para 7.000. O compromisso da empresa é que 9.000 jovens participem do projeto até 2020.

Em pouco tempo, o programa de formação deu retorno não só para a comunidade, mas também para a Nestlé. A taxa de aproveitamento dos aprendizes está em quase 50% e esses jovens têm sido disputados pelas fábricas, devido a melhoria da qualificação profissional.

Conheça melhor os projetos da Nestlé voltados aos jovens

Jovem profissionais

Jovens universitários também são contemplados na busca por aprimoramento profissional. Para jovens interessados em culinária, veterinária e nutrição, a Nestlé desenvolveu projetos para capacitá-los, principalmente, dentro de áreas no mercado de trabalho carentes de profissionais especializados. 

Por meio de parceiros, esses jovens são treinados de uma maneira prática e absorvidos por outras empresas. Além de ajudar na qualificação profissional, esses jovens ganham esperança e estímulo para seguir uma carreira.

Jovens nutricionistas estão sendo capacitados para atuar dentro de hospitais com cuidados voltados a pacientes acamados. Após um estudo mostrar que muitas das pessoas internadas sofriam de desnutrição, a Nestlé decidiu capacitar e, por meio de parceria com hospitais, colocar esses jovens para ajudar na nutrição dos pacientes.

A nutrição animal também ganha destaque nesse programa, uma vez que a Purina faz parte do portfólio dos produtos Nestlé. Os cursos de veterinária pouco exploram a nutrição animal. Muitos bichos de estimação sofrem com a obesidade e têm sua expectativa de vida reduzida em dois anos. Jovens estudantes estão atuando em clínicas-escolas para se aprimorarem nesse nicho de mercado que é pouco desenvolvido.

comunidades historias nutrindo os sonhos dos jovens

Com o programa Jovem Aprendiz da Cozinha do Brasil, a Nestlé proporciona uma experiência com o chef Laurent Suaudeau e dá a oportunidade de conquistar vagas em sua famosa escola.

A iniciativa é voltada a jovens em situação de risco que estão fazendo curso de auxiliar de cozinha. A ideia é dar formação a esses jovens na Nestlé, onde passam dois dias. Os que tiverem o melhor desempenho em uma prova dada no final do curso ganham uma formação no Instituto Laurent Suaudeau, que capacita esse jovem, dá visibilidade e chance de empregabilidade.

Estágio e trainee

Quem está cursando uma faculdade pode se candidatar no programa de estágio da companhia. A Nestlé conta com o Estágio Fast, um programa no qual os estagiários passam para vivenciar diversas áreas da empresa, durante o período de aprendizado. A ideia é fazer com que os estagiários passem por diferentes áreas e por diferentes projetos, para que possam iniciar a carreira com uma bagagem ainda maior. 

Essas iniciativas nutrem o sonho desses jovens de terem uma carreira promissora, ajudando as comunidades onde vivem.

Com uma formação mais robusta, o programa de trainee da Nestlé também foi aprimorado. Atualmente, os trainees têm sido acompanhados mais de perto com uma equipe que envolve profissionais como coaching e mentoring.

Como começou

Em 2014, a Nestlé fez um estudo na Europa que mostrava um alto índice de desemprego entre os jovens, mesmo eles sendo qualificados e com ensino superior. No caso dos países europeus, o que faltava eram vagas. Quando o programa para ajudar a aumentar a empregabilidade dos jovens chegou ao Brasil, o cenário era outro. O problema não estava apenas na falta de vagas, e sim na falta de capacitação e formação desses jovens.

Foi analisando seus programas voltados a essa população que a Nestlé buscou formas de aprimorá-los. O maior empenho ficou para o programa Jovem Aprendiz, que atende 900 jovens em situação de risco e que apresentava uma taxa de efetivação de apenas 11% nas fábricas da companhia, além de pouca oportunidade de inserção no mercado de trabalho.

Com o projeto piloto instaurado, primeiramente, em seis fábricas, logo essa porcentagem saltou para 44%.

O resultado foi possível por conta de uma série de medidas adotadas dentro das fábricas que valorizam a capacitação e a formação desses jovens, além de parcerias com centros de estágio e profissionalizantes, como o CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola) e Senai.

Para ficar de olho se seus projetos de qualificação e capacitação dos jovens estão dando certo, a Nestlé acompanha, por meio de pesquisa, o nível de empregabilidade dos jovens que participaram de seus programas, mesmo que não atuem mais na companhia.

Saiba mais no site: https://www.jovenes.nestle.com/br/

Histórias relacionadas