Nestlé | Preferências alimentares e a descoberta de novos sabores
Faça seu Login

A Nestlé quer saber mais sobre você e oferecer serviços para ajudá-la no dia-a-dia.

Se você não possui login:

Ir para o conteúdo

Nestlé - Good Food Good Life



nestle

banner_cereais_interna

banner_cereais_interna

Buscar Matéria

Enquete

Ter a companhia de um animalzinho em casa faz parte do seu cotidiano?





Votar

Nestlé

Você está na área de Faz Bem

Nutrição

Tamanho da letra

A-

A+

Preferências alimentares e a descoberta de novos sabores

Regular Bom Muito Bom Ótimo Excelente



Saber lidar com esse conflito não é tarefa fácil e, muitas vezes, sem orientação adequada, o momento das refeições pode se transformar em um verdadeiro campo de batalha.

A nutricionista Adriana Kachani* explica que, embora habitual, a seletividade alimentar das crianças pode se tornar preocupante quando envolve um grande número de alimentos, de forma a repercutir em carência nutricional importante. “Infelizmente, os itens mais comumente rejeitados são verduras, legumes e frutas, fundamentais para o crescimento e desenvolvimento saudáveis”.

“É importante que os pais não desistam nas primeiras tentativas”, conta Adriana. “Eles devem insistir várias vezes na oferta dos alimentos rejeitados. Outro ponto importante é nunca disfarçar os itens declinados, pois a criança deve saber o que está comendo”.

O pediatra Mauro Fisberg** acrescenta ser importante que os familiares dêem o exemplo e adotem uma alimentação saudável e variada, similar à que estão oferecendo às crianças. “Os pais ou cuidadores são os responsáveis não somente pela compra e preparo dos alimentos em casa, mas também por darem um bom exemplo do que é uma alimentação adequada. Deve-se lembrar sempre que pais com hábitos alimentares saudáveis terão os filhos nas mesmas condições”.

“Outro ponto essencial é evitar punições e castigos frente a uma recusa alimentar”, reforça Mauro. “Essa atitude certamente fará com que a criança associe o ato de comer a algo ruim. Além disso, não se deve substituir uma refeição por mamadeiras ou outros alimentos fora do contexto, como bolos, biscoitos e chocolates, para que não prejudiquem o apetite para a próxima refeição. A introdução precoce de alimentos com excesso de açúcar também deve ser evitada”.

Os especialistas incentivam que as crianças sejam envolvidas na elaboração do cardápio familiar, incluindo a seleção e o preparo dos alimentos, como forma de encorajá-las a conhecer melhor os ingredientes e provar novas receitas.

 

*Adriana Kachani é Nutricionista. Mestre e Doutora pelo Programa de Fisiopatologia Experimental da FMUSP. Coordenadora da Equipe de Nutrição do Programa Mulher Dependente Química (PROMUD) do IPq-HC-FMUSP. embro da Associação Brasileira Multidisciplinar de Estudos sobre Drogas (ABRAND). Co-autora do livro “Nutrição  em psiquiatria" (Artmed Editora).







**Mauro
Fisberg é

pediatra,
professor associado e coordenador clínico do Setor de Medicina do Adolescente
da Unifesp e coordenador da força-tarefa Estilos de Vida Saudável ILSI Brasil.



Assunto:Família

Voltar

Fechar

Enviar para amigo

Comentários

0

SEJAM BEM-VINDOS, VISITANTES!

Gostaríamos de informar que esta área é dedicada ao contato entre leitores e usuários. Em caso de dúvida, entre em contato com o Fale Conosco. A Nestlé pode não publicar ou retirar desta área todos os comentários que julgar inadequados. É importante, também, saber que todos os comentários publicados nesta área são de total responsabilidade dos usuários.

Página 1 de 1


Sites Nestlé:
As informações fornecidas por esse site não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta.

Nestlé faz bem

O MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMA: O ALEITAMENTO MATERNO EVITA INFECÇÕES E ALERGIAS E É RECOMENDADO ATÉ OS 2 (DOIS) ANOS DE IDADE OU MAIS. O MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMA: APÓS OS 6(SEIS) MESES DE IDADE, CONTINUE AMAMENTANDO SEU FILHO E OFEREÇA NOVOS ALIMENTOS.
©2014, Nestlé Brasil Ltda. Todos os direitos reservados. Melhor visualização 1024 x 768.